Categoria: Notícias/Nacional

Assembleia Geral – Convocatória

Nos termos dos Estatutos, convoco a Assembleia Geral do Sindicato dos Jornalistas a reunir-se, em sessão ordinária, no dia 7 de Julho de 2021, com a seguinte ordem de trabalhos: 1 – Apreciar e votar o Relatório e as Contas da Direção relativas ao exercício do ano de 2020; 2 – Apreciar e votar o Plano de Atividades e orçamento para o ano de 2021 A Assembleia funcionará às 20h30, nos seguintes locais: – Na Sede do Sindicato dos Jornalistas, Rua dos Duques de Bragança, 7 E, em Lisboa – Na Delegação do Norte, Rua Fernandes Tomás, 424 – 4º – salas 4/5, no Porto – Na Direção Regional da Madeira, Largo do Corpo Santo, 14-16, no Funchal Não havendo número legal de sócios à hora indicada, a Assembleia funcionará, em todos os locais de reunião, uma hora mais tarde, com qualquer número de sócios. Lisboa, 14 de Junho de 2021 O Presidente da Mesa da Assembleia Geral a) Cesário…

SJ questiona constitucionalidade do artigo 6.º da carta dos direitos digitais

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) vai requerer à Procuradoria-Geral da República e à Provedoria de Justiça, por serem entidades com competência para o efeito e a quem cabe velar pelos direitos, liberdades e garantias dos cidadãos, que suscitem, junto do Tribunal Constitucional, a constitucionalidade do artigo 6.º da Carta de Direitos Fundamentais na Era Digital. A lei em questão (Lei 27/2021) foi aprovada pelo Parlamento a 8 de abril, promulgada pelo Presidente da República a 8 de maio e publicada a 17 de maio. Já num contributo escrito  enviado à Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias (a pedido desta), a 7 de outubro do ano passado, o SJ sugeria a retirada do teor do artigo 6.º e que fosse repensada a forma de proteção contra a desinformação, que deve ter, designadamente, em conta a diferença entre a desinformação que seja reproduzida e divulgada por órgãos de comunicação social e a que não seja (artigo 7.º). No entender do SJ – que recorreu,…

Defender jornalistas, defender o jornalismo

Os novos órgãos sociais do Sindicato dos Jornalistas para o triénio 2021/23, eleitos a 19 de maio de 2021, tomaram posse na passada sexta-feira, 28 de maio, na sede do SJ em Lisboa.   Discurso de tomada de posse do presidente da direção, Luís Filipe Simões: “Parece que foi ontem, mas passaram mais de 6 anos desde o dia em que a Ana Luísa Rodrigues me desafiou para dar um pouco do meu tempo e concorrer ao lado da Sofia Branco às eleições do Sindicato dos Jornalistas, em 2014. Queríamos trazer a mudança, organizar um congresso, que o jornalismo não se sentava a discutir a profissão há 20 anos. Avançámos. Ganhámos as eleições e daí para cá foi feito tanto… Sofia, essa energia, essa entrega, essa capacidade de liderança são uma herança pesada, mas deixa-me pelo menos a força do exemplo. Há muito de ti no projeto da literacia, na realização do quarto congresso também. E na Conferência do Financiamento…

Tomada de posse dos órgãos sociais

Os novos órgãos sociais do Sindicato dos Jornalistas, eleitos a 19 de Maio, vão tomar posse esta sexta feira,  dia 28 . O presidente da mesa da Assembleia Geral, reeleito, Cesário Borga, vai dar posse à nova  direcção, presidida por Luís Simões, que sucede no cargo  a Sofia Branco, eleita para presidente do Conselho Deontológico. Tomam igualmente posse o Conselho Fiscal, presidido por Ana Suspiro e o Conselho Geral a que preside Paula Sofia Luz. A cerimónia de tomada de posse tem lugar às 17 horas na sede do Sindicato dos Jornalistas, na Rua Duques de Bragança n 7 E. Devido às contingências sanitárias impostas pelas autoridades de saúde, não vai ser possível alargar esta cerimónia a outros convidados. Para poder chegar ao maior número de pessoas possível, o Sindicato vai transmitir em directo a cerimónia através do seguinte link    

Jornalistas agredidos em Braga – SJ exige que se apurem responsabilidades

 O Sindicato dos Jornalistas condena o sucedido no último domingo, dia 23, após a final da Taça de Portugal, em que a equipa de reportagem da RTP que acompanhou os festejos na cidade de Braga trabalhou num ambiente hostil, sendo injuriada, agredida fisicamente e, sistematicamente, impedida de captar imagens, e exige que sejam apuradas todas as responsabilidades, mais ainda porque estavam, no local, agentes da Polícia de Segurança Pública.