Etiqueta: global media group

Lay-off não pode servir para financiar despedimentos

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) denuncia que o regime de “lay-off” simplificado, que tem como propósito a manutenção dos postos de trabalho e mitigar situações de crise empresarial, a que o Global Media Group (GMG) recorreu em abril, acabou por financiar mais um despedimento coletivo. O SJ escreveu ao primeiro-ministro, às ministras do Trabalho e da Cultura, ao Secretário de Estado do Cinema, Audiovisual e Media e ao Grupos Parlamentares da Assembleia da República, exigindo que intervenham no âmbito do presente processo de despedimento coletivo, suspendendo-o ou procurando soluções alternativas, sob pena de se generalizar o recurso ao regime do lay-off simplificado como operação de tesouraria, que, na prática, servirá para financiar despedimentos coletivos. O SJ assinala que, se o objetivo real do lay-off simplificado é a manutenção do nível de emprego, as autoridades mencionadas têm a obrigação de garantir que assim seja. No passado dia 20 de abril de 2020, o GMG – que detém JN, DN, O Jogo ler mais

SJ contesta despedimento colectivo no Global Media Group

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) contesta o despedimento de 81 trabalhadores do Global Media Group (GMG), 17 dos quais jornalistas, na convicção de que os despedimentos e a degradação das condições de trabalho não devem, nem podem, ser a única solução das administrações para resolver as dificuldades económicas. O SJ manifesta, desde já, a sua solidariedade para com os trabalhadores atingidos por esta decisão e reafirma a sua determinação em defender os postos de trabalho e garantir a proteção dos direitos e interesses dos jornalistas. O SJ relembra que acompanha a situação das empresas que compõem o universo GMG (JN, DN, O Jogo e TSF e outras publicações) há anos e considera que o despedimento não pode ser a resposta para compensar perdas em vendas de jornais e publicidade ou investimentos falhados, no quadro de uma gestão irresponsável. O SJ reafirma que as redações das várias publicações periódicas e da TSF já estão demasiado exauridas e que um novo “emagrecimento” ler mais

SJ denuncia atraso no pagamento aos colaboradores do GMG

Centenas de colaboradores dos diversos títulos do Global Media Group (GMG) estão sem receber o pagamento pelo trabalho realizado durante o mês de junho. Até hoje, dia 13 de agosto, os jornalistas que colaboram regularmente com Jornal de Notícias, Diário de Notícias, O Jogo, TSF, revista Evasões, Volta ao Mundo, Men’s Health, entre outras – não receberam o valor das peças publicadas, nem lhes foi dada qualquer justificação ou indicação de quando vão receber. Há mais de um ano que os jornalistas em causa – trabalhadores independentes, a maioria paga à peça, outros em regime de avença – estão a receber depois do dia 11, com exceção do verão passado, quando o Sindicato dos Jornalistas (SJ) denunciou o atraso no pagamento dos salários aos trabalhadores do grupo. O SJ lamenta que o GMG ignore desta forma as centenas de jornalistas que contribuem diariamente com o seu trabalho para cada um dos títulos. São trabalhadores que já vivem diariamente na precariedade, ler mais

SJ solidário com trabalhadores da TSF

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) reitera  o seu  apoio à luta dos trabalhadores da TSF, que  decidiram dar um prazo  aos acionistas do Global Media Group (GMG) para  esclarecerem a anunciada reestruturação do grupo, a qual contestam, a situação financeira do mesmo, os motivos que levaram à demissão do diretor da rádio, Arsénio Reis, e ainda o plano traçado para o futuro da rádio.   Findo esse prazo, os trabalhadores admitem recorrer a diversas formas de luta, incluindo a greve. A decisão,  tomada em plenário  a 15 de novembro, decorreu da “instabilidade criada com a referida reestruturação do GMG, ao qual pertence a TSF, agravada por atrasos no pagamento de salários a trabalhadores efetivos e colaboradores” e ainda da falta de informações claras e concretas sobre todas estas questões. O SJ está solidário com os trabalhadores da TSF, lembrando que acompanha, desde o final de 2018,  a situação dos restantes trabalhadores do Global Media Group, reiterando  a sua total disponibilidade para os continuar a apoiar e a defender. ler mais

Presidente tenta “encontrar soluções” para Global Media Group

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, "tem vindo a acompanhar toda a situação" no Global Media Group "há já vários meses" e compromete-se, "dentro dos poderes que lhe estão atribuídos", a fazer "todos os possíveis para encontrar soluções para os problemas" do grupo comunicação social. Esta tomada de posição surge depois de o Sindicato dos Jornalistas (SJ), mandatado pelos trabalhadores do jornal O Jogo, que se reuniram em plenário no dia 4 de julho de 2019 , ter voltado a alertar o Presidente da República para a situação que se vive no Global Media Group (GMG), com a anunciada reestruturação e despedimentos, devido à alegada situação financeira deficitária.   Os trabalhadores - de O Jogo e dos outros órgãos de informação do grupo, que detém também DN, JN e TSF, entre outros - desconhecem o atual estado da empresa e as medidas que os órgãos de gestão se propõem tomar,  apesar das várias tentativas para obterem informação e ler mais

Administração do Global Media Group ignora trabalhadores e não paga salários a dia habitual

A Administração do Global Media Group tem ignorado os trabalhadores, recusando-se a prestar esclarecimentos quer ao Sindicato de Jornalistas (SJ) quer aos delegados sindicais sobre a degradação financeira das empresas de comunicação social que detém. Ao mesmo tempo, e pela primeira vez, os salários de junho não foram pagos no penúltimo/último dia útil do mês (consoante os bancos), como é habitual há anos. Perante esta situação, não foi dada qualquer explicação/informação aos funcionários das empresas do grupo, o que revela uma quebra de confiança na relação que deve existir entre a Administração e os trabalhadores. O SJ lamenta que, mais uma vez, a administração opte por ignorar os funcionários do universo do grupo. Esta postura da administração, liderada por Daniel Proença de Carvalho, já não é nova. O SJ e os delegados sindicais de JN, DN, TSF e O Jogo têm vindo a solicitar reuniões com a administração desde o início de janeiro, face às notícias de estar a ser ler mais

SJ indignado com anúncio de despedimentos no Global Media Group feito por acionista chinês

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) reage com indignação às declarações do acionista maioritário do Global Media Group (GMG), Kevin Ho, anunciando, na China, despedimentos no grupo que detém vários órgãos de informação em Portugal. Em declarações foram feitas a uma jornalista da Teledifusão de Macau, em Pequim, numa altura em que o SJ espera uma resposta da Administração do GMG a cinco pedidos de reunião sobre o assunto versado. As informações relativas a um alegado agravamento da situação financeira do GMG surgiram no início do ano. Desde essa altura, o SJ solicitou, por cinco vezes, uma reunião à Administração, para obter informações e disponibilizar-se para contribuir para a construção de uma eventual solução para a crise, que pode vir a afetar dezenas de jornalistas nos órgãos de informação JN, DN, TSF, O Jogo, Dinheiro Vivo e outras publicações. A Administração não acedeu a esses pedidos, tendo referido, em resposta, que a situação financeira do grupo não se alterou desde 26 ler mais

SJ exige esclarecimentos ao Global Media Group

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) reage com preocupação à notícia publicada na edição digital do semanário "Expresso", esta sexta-feira, sob o título "Global Media à espera da banca para voltar a despedir". O Sindicato de Jornalistas (SJ) exorta a Administração do Global Media Group (GMG) a esclarecer, com urgência, as informações divulgadas pelo "Expresso", esta sexta-feira, segundo as quais o grupo vai avançar com uma reestruturação que poderá implicar a saída de mais de uma centena de trabalhadores, na sua maioria jornalistas. As informações relativas a um alegado agravamento da situação financeira do GMG surgiram no início do ano. Desde essa altura, o SJ solicitou, por três vezes, uma reunião à Administração, para obter informações e disponibilizar-se para contribuir para a construção de uma eventual solução para a crise. A Administração não acedeu a esses pedidos, tendo referido, em resposta, que a situação financeira do grupo não se alterou desde 26 de novembro de 2018, data da primeira e última reunião ler mais