Etiqueta: CCPJ

Os jornalistas e a verdade

A liberdade de expressão exige um nível de responsabilidade acrescido e uma maior literacia mediática, que possibilite a cada cidadão distinguir o tipo de informação que consome. Produzir informação não é fazer jornalismo e, por si só, não faz do produtor de informação um jornalista. Neste contexto, a Comissão da Carteira Profissional de Jornalista e o Sindicato dos Jornalistas alertam para a proliferação de meios e formas de comunicação no meio digital que se apresentam como sendo órgãos jornalísticos não o sendo e que transmitem informação não verificada, sem fundamento científico e/ou sem qualquer independência face a interesses nunca revelados, porque nada os obriga a isso. O jornalismo é uma atividade sujeita a escrutínio público e legal, que começa na formação do profissional e se desenvolve, na tarimba, diariamente, com alto grau de exigência técnica e ética, devendo o jornalista profissional cumprir o Código Deontológico dos Jornalistas e agir dentro do quadro ético-legal previsto no Estatuto do Jornalista, consolidado na ler mais

Comunicado da CCPJ: Restrições de circulação anunciadas para os próximos dias

A declaração da situação de calamidade e as restrições de circulação entre os dias 30 de Outubro e 2 de Novembro decretadas pelo Governo não colocam em causa a liberdade de circulação dos jornalistas no exercício das suas funções. O direito de informação e o direito de acesso às fontes são direitos constitucionalmente garantidos e neste momento o país não se encontra em estado de exceção constitucional, pelo que esses direitos se mantêm intactos. Nem mesmo durante a vigência dos três estados de emergência na primavera deste ano esses direitos foram restringidos, pelo contrário: nessa altura, tanto os decretos do Presidente da República como os do Governo garantiram expressamente a sua salvaguarda. Na situação atual, não existe qualquer referência à liberdade de informação, nem era necessário que houvesse, pois não vivemos nenhum estado de exceção constitucional, antes perante uma pandemia que exige atuações responsáveis ​​por parte de todos, sem exceção, e também do cidadão que é jornalista. Assim, a CCPJ ler mais

SJ apela à ação contra utilização de conteúdos não jornalísticos

O Sindicato dos Jornalistas vê com elevada preocupação o aumento de situações em que as imagens (vídeo ou fotografias) e os sons usados pelos órgãos de comunicação social são cada vez mais cedidos por agências de comunicação e/ou instituições públicas e privadas, ao invés de serem recolhidos pelos próprios órgãos de comunicação social e seus jornalistas. Nos dias de hoje, em que os recursos são escassos e as redações estão depauperadas, os órgãos de comunicação social optam, na maior parte das vezes, pelo caminho mais fácil, utilizando estes conteúdos cedidos, que estão longe de ser jornalísticos. Este cenário ganha ainda mais gravidade pelo facto de existirem cada vez mais órgãos de comunicação social a recorrerem a despedimentos e/ou layoff dos seus jornalistas, repórteres fotográficos e repórteres de imagem. Julgamos que não é necessário evidenciar que a utilização recorrente de imagens cedidas pelas agências de comunicação, clubes desportivos, instituições públicas ou privadas é uma violação da lei, mas, principalmente, coloca em ler mais

Estudo revela mais precariedade no jornalismo

O domicílio dos jornalistas substituiu as redações. O número dos profissionais que não faz reportagem aumentou. Uma percentagem significativa de jornalistas enfrentou, durante o Estado de Emergência, as consequências do lay-off e viu os seus rendimentos ou os do seu agregado familiar diminuírem. As expectativas sobre a profissão baixaram significativamente. A crise sanitária aumentou as preocupações com princípios deontológicos, como o rigor da informação. A tendência de precarização e a crise dos média agudizaram-se. Estas são as principais conclusões do Estudo sobre os Efeitos do Estado de Emergência no Jornalismo no Contexto da Pandemia Covid-19, que inquiriu 890 jornalistas em Portugal, entre os dias 22 de maio e 8 de junho de 2020. Desenvolvida por investigadores do Centro de Administração de Políticas Públicas e do Instituto de Ciências Sociais, da Universidade de Lisboa, do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade, da Universidade do Minho, e do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX, da Universidade de Coimbra, esta pesquisa foi realizada numa parceria ler mais

SJ apresenta queixa contra Global Media Group por recurso a falsos ‘fotojornalistas’

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) enviou hoje uma queixa à Comissão da Carteira Profissional de Jornalista (CCPJ) sobre o facto de a Global Imagens, que serve de editoria de Fotografia do Global Media Group (GMG), estar a recorrer a pessoas sem título profissional para realizar o trabalho de fotojornalistas. O SJ tem mantido contacto com vários fotojornalistas colaboradores da Global Imagens, alguns dos quais há mais de dez anos, que afirmam ter sido substituídos, durante a pandemia de covid-19, por se terem recusado a aceitar os pagamentos previstos na nova tabela remuneratória que lhes foi imposta pela empresa. O SJ apurou que entre esses substitutos estão pelo menos quatro pessoas sem título profissional, havendo ainda outras duas que poderão estar a usar indevidamente o nome de outros profissionais em exercício. Assim, o GMG, que tem vários órgãos de informação devidamente registados em Portugal, está a atribuir funções de jornalista, no caso fotojornalista, a pessoas não habilitadas para o ser. Recordando ler mais

API, CNID, CCPJ e SJ pedem reunião urgente à Liga de Futebol

A Associação Portuguesa de Imprensa (API), o CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto, a Comissão da Carteira Profissional de Jornalista (CCPJ) e o Sindicato dos Jornalistas (SJ), reunidos hoje, decidiram pedir uma reunião urgente à Liga Portuguesa de Futebol Profissional. Em email dirigido ao presidente da Liga Portugal, Pedro Proença, as quatro entidades subscritoras justificam o pedido com a necessidade de discutir o atual modelo de acesso aos estádios de futebol e cobertura dos jogos, no que aos jornalistas e órgãos de comunicação social diz respeito, tendo em conta, nomeadamente, o próximo campeonato de futebol.

Inquérito sobre efeitos do estado de emergência no jornalismo

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) relembra que está em curso, até ao final da semana, um inquérito sobre os efeitos do estado de emergência na profissão. A participação tem sido elevada, mas apelamos a todos que contribuam respondendo ao inquérito enviado a todos os jornalistas pela Comissão da Carteira Profissional de Jornalista (CCPJ), parceira, tal como o SJ, do estudo realizado por três universidades, o Ceis20, da Universidade de Coimbra, o ICS  e o CAPP, da Universidade de Lisboa, e o CECS, da Universidade do Minho. Quanto mais respostas forem obtidas, maior o universo abrangido e melhor poderá ser analisado o contexto em que atualmente se desempenha a profissão em Portugal, depois das seis semanas consecutivas de duração do estado de emergência. O estudo pretende saber como é que a pandemia se está a repercutir na situação profissional dos jornalistas, que questões ético-deontológicas se tornaram sensíveis no contexto da crise sanitária e que efeitos pode ter esta nova situação na ler mais

Uma jornalista a presidir à CCPJ

O Sindicato dos Jornalistas congratula-se com a co-optação de Leonete Botelho para presidir à Comissão da Carteira Profissional de Jornalista (CCPJ).  Esta é uma jornada duplamente histórica: é a primeira vez que este importante órgão de co-regulação, em funcionamento há 23 anos, será liderado por um jornalista e também por uma mulher. Acreditamos que Leonete Botelho, grande repórter no jornal Público, licenciada em Direito e com estudos avançados em Direito da Comunicação, está em condições de aproximar os jornalistas e as redações do trabalho desenvolvido pela CCPJ.