Etiqueta: Eleições_21

Pelos fotojornalistas e repórteres de imagem – 8 das muitas lutas a travar

Os fotojornalistas e repórteres de imagem enfrentam dificuldades e questões específicas a que a Lista A – Aos Jornalistas, pelo Jornalismo, que conta com eles entre os seus candidatos, nomeadamente à Direcção, está atenta e lutará por resolver.   1 – Lutar pelo reconhecimento do jornalismo como profissão de desgaste rápido e redução da idade da reforma, especialmente quanto aos fotojornalistas e repórteres de imagem. 2 – Lutar contra a precariedade que, sendo transversal ao jornalismo em Portugal, afecta particularmente os fotojornalistas, e pela regulação dos direitos de autor destes profissionais sobre o seu trabalho, nomeadamente impedindo a venda de imagens a terceiros sem o consentimento do seu autor e a devida compensação. 3 – Lutar pela regulação e tabelamento do trabalho freelance de fotojornalismo, nomeadamente com a introdução de um valor digno no sentido de valorizar a profissão, combater a precariedade e fazer reflectir no valor a cobrar o material de trabalho e a cedência do direito de utilização ler mais

Lista B – Continuar a defesa dos Jornalistas e do Jornalismo

Na Lista B não há suplentes. Somos um coletivo de 22 pessoas com vontade de trabalhar em prol do Jornalismo e dos Jornalistas. Gente de todas as sensibilidades, de todas as idades e com diferentes experiências profissionais. Uma lista inclusiva, que junta nova energia àquela que há seis anos move o Sindicato dos Jornalistas. Este é um projeto de continuidade, com múltiplos desafios e novos horizontes. https://www.youtube.com/watch?v=ekV-tjI5x3A   Somos da escrita, do som e da imagem e em comum uma linguagem que nos une: a vontade de contribuir para que a nossa profissão seja preservada e valorizada. Somos jornalistas e alinhamos num desafio assente em três pilares fundamentais: a Ação, o Rigor e a Independência. https://anchor.fm/lista-b-sj   No dia 19 de maio vota Lista B.    Segue-nos em: https://www.facebook.com/Sindicato.comTodoscomFuturo https://twitter.com/lista_sj https://www.instagram.com/listb_acao_rigor_independencia/ https://anchor.fm/lista-b-sj https://www.youtube.com/channel/UCqs2USFqavFbrcP8p_3sycw      

Ação, Rigor e Independência. Razões de uma candidatura

Ação, Rigor, Independência. Três palavras que significam muito mais que um slogan de campanha. Uma mensagem que reflete a identidade da lista B, candidata às eleições para o Sindicato dos Jornalistas (SJ) a 19 de maio. Ação, Rigor, Independência. Três palavras que espelham a alma e o coração das dezenas de pessoas que se juntaram à volta da causa do jornalismo, numa mesma lista, a B, concorrendo aos cinco órgãos sindicais nacionais e dois regionais, Açores e Madeira. Ação, Rigor, Independência. Três palavras que resumem a essência deste projeto, com os pés orgulhosamente assentes no passado recente de muitas das pessoas que continuam disponíveis para dar seguimento ao trabalho dos últimos anos. Um esforço que levou a um reposicionamento do SJ, que, mais do que um parceiro social, cada vez mais respeitado, é também um ator social, que se faz ouvir, junto do Governo, da Assembleia da República, dos patrões, das associações do setor e dos jornalistas. Ação. A génese da lista nasceu há ler mais

As razões da minha candidatura

Carlos Camponez (sócio n.º 1591) é professor na Licenciatura em Jornalismo e Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, e director da Mediapolis – Revista de Comunicação, Jornalismo e Espaço Público. Estuda, em particular, as questões da Ética e da Deontologia do Jornalismo. Jornalista freelance, trabalhou na revista África Confidencial e nos jornais Diário de Lisboa, A Capital, Público, Jornal de Leiria e Região de Leiria. As razões da minha candidatura Aceitei encabeçar a lista do Conselho Deontológico do Sindicato dos Jornalistas, integrada na candidatura Aos jornalistas, pelo Jornalismo!, porque considero que a autorregulação do jornalismo não é um direito, é um dever. Esse dever é um corolário do princípio expresso na Carta de Ética Mundial para Jornalistas, da Federação Internacional de Jornalistas, segundo o qual “o jornalista só aceitará, em questões de honra pessoal, a jurisdição de organismos independentes de autorregulação abertos ao público, excluindo qualquer ingerência governamental ou de outro tipo”. Entendi que responder ao repto ler mais

Lista B – Num Conselho cabe um país

  Na candidatura da lista B ao Conselho Geral de um sindicato como o nosso cabe um país inteiro. Um país que ao longo do tempo foi tantas vezes esquecido ou ignorado, olhado com paternalismo. Um jornalista faz Jornalismo esteja onde estiver, tenha o vínculo que tiver. Por isso a lista B apresenta-se a estas eleições de forma inédita, inteiramente constituída por jornalistas que trabalham na Imprensa Regional; correspondentes das rádios, imprensa nacional, plataformas digitais ou televisão. Pela primeira vez haverá no Conselho Geral representantes dos 18 distritos e das regiões autónomas. Entre esses, aqueles que trabalhando a partir do Porto, como o Miguel Carvalho, de Lisboa, como António Marujo, sabem a diferença entre Vila Franca de Xira e Vila Franca das Naves. Sabem que a carteira profissional da fotojornalista Rosa Santos, do Correio do Minho, é igual à do Vítor Mota, do Correio da Manhã. Que Braga e Portalegre são partes do  mesmo todo. Que o cartão de sócia ler mais

Luís Peixoto – candidato a presidente da direcção do SJ

Sou jornalista porque entendo a profissão como forma de intervir na sociedade, dando voz aos que não a têm, aprofundando a democracia. Lutar pelo Jornalismo é lutar contra o obscurantismo, é trabalhar para que a população disponha de instrumentos para tomar decisões de forma esclarecida. Os problemas que a profissão enfrenta enfraquecem o Jornalismo. Os baixos salários, a precariedade crónica e o emagrecimento das redacções têm contribuído para a depauperização do jornalismo. Lembro-me de que, quando comecei a trabalhar, tive como única opção um contrato precário, um falso recibo verde. Recordo-me da ideia de inevitabilidade em torno desta situação injusta. Não tem de ser assim. Ao longo de dois anos, lutámos pelo reconhecimento do nosso posto de trabalho, no âmbito do programa de regularização extraordinária dos vínculos precários na Administração Pública (PREVPAP). Foi uma luta dura, que só deu frutos pela unidade e determinação que demonstrámos. É possível um caminho diferente para os jornalistas e para o jornalismo. É imperativo ler mais

Mensagem para o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa

A lista – “Aos Jornalistas, pelo Jornalismo!”, candidata às eleições para o Sindicato dos Jornalistas, saúda o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, neste ano subordinado pela Unesco a um lema bem caro aos candidatos que a integram – e que se reveste de uma extraordinária importância, neste tempo de crescente desinformação, também em Portugal: “A Informação como bem público”. Convergindo com o propósito da Unesco de colocar em evidência designadamente a necessidade da viabilidade económica dos meios de informação e a importância de tornar o público consciente do valor da informação e do jornalismo, os candidatos da lista A às eleições do próximo dia 19 salientam que só é possível alcançar tais objectivos através do respeito pelos direitos dos jornalistas e da garantia de condições de trabalho dignas e propícias ao desempenho profissional de qualidade e eticamente empenhado. Neste dia, a lista A – “Aos Jornalistas, pelo Jornalismo” reafirma o seu compromisso de se bater pelo fim das diversas ler mais

Lista B à lupa 

 A Lista B é muito mais do que um conjunto de nomes distribuídos por quatro órgãos candidatos aos corpos gerentes do Sindicato dos Jornalistas.  A escolha dos candidatos, efetivos e suplentes, à Assembleia Geral, à Direção, ao Conselho Fiscal, ao Conselho Deontológico e ao Conselho Geral, bem como às Direções Regionais da Madeira e dos Açores, assenta num conjunto de princípios basilares: paridade, diversidade, abrangência geracional, representatividade e pluralismo.    As metas foram cumpridas!   Na Lista B, há paridade. A proporção de homens e mulheres é equilibrada (desta vez até com vantagem para elas, que representam 52%), cumprindo-se uma das nossas maiores preocupações, no SJ e no Jornalismo: assegurar uma participação equitativa em termos de género, fundamental para a partilha de direitos e responsabilidades em democracia e para uma representatividade adequada da profissão e da sociedade. Mas a nossa paridade não é só um número. Conscientes da importância de levar a igualdade às funções de liderança, há quatro mulheres ler mais

Informação da Mesa da Assembleia Geral

ELEIÇÃO DOS CORPOS GERENTES PARA O TRIÉNIO 2021/23 A Mesa da Assembleia Geral do Sindicato dos Jornalistas informa que, dentro do prazo estipulado, foram apresentadas e validadas duas listas concorrentes às eleições marcadas para o próximo dia 19 de maio: uma identificada pelo lema “Aos jornalistas, pelo Jornalismo!”,  a que foi atribuída a letra A; e a lista identificada pelo lema “Ação – Rigor – Independência”,  a que foi atribuída a letra B, concorrentes ambas a todos os órgãos nacionais. A Mesa informa ainda que foi apresentada e validada uma lista concorrente à Direcção Regional dos Açores, identificada com o lema “Pela Dignidade da Profissão nos Açores” que foi designada por Lista Única e uma lista concorrente à Direção Regional da Madeira, identificada pelo lema “Por um futuro” também designada por Lista Única. Nos termos da respetiva convocatória, a Assembleia Geral Eleitoral realiza-se no dia 19 de maio de 2021, havendo mesas de voto, a funcionar entre as 10h00 e ler mais