SJ recomenda teletrabalho e mudança de equipas a cada 15 dias

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) recomenda aos órgãos de informação que recorram ao teletrabalho ou, no caso de isso não ser possível, que estabeleçam equipas de trabalho quinzenais e que os trabalhadores de cada uma dessas equipas não se cruzem entre si.

Esta é uma medida de prevenção básica, que respeita a indicação de que o novo coronavírus tem um período de incubação de 14 dias.

O SJ deixa um exemplo: se um trabalhador infetado trabalhar no primeiro período de 15 dias e depois for para casa e voltar à redação, nem que seja por um dia, no segundo período de 15 dias poderá estar a contaminar duas equipas, a primeira e a segunda. Contas feitas, toda uma redação poderá ficar em causa – e, mal haja uma suspeita de infeção, o órgão de informação terá de fechar, por tempo indeterminado.

O SJ pede também às administrações e às direções dos órgãos de informação que avaliem diariamente os riscos a que os seus jornalistas estão expostos no cumprimento das suas funções.

É ainda fundamental que as redações estejam munidas das proteções necessárias, como luvas e máscaras, gel desinfetante e álcool para usar em computadores, teclados e outro material de trabalho, bem como proteções para microfones.

O SJ saúda os jornalistas que têm cumprido o seu dever de informar e que, ao fazê-lo, estão a correr riscos.

O SJ exorta os jornalistas e as empresas de comunicação social a serem claros e responsáveis na cobertura informativa do novo coronavírus, contribuindo para o esclarecimento da população.

Isso passa por dar voz a especialistas qualificados para comentar uma matéria complexa e delicada, por evitar especulações e optar por um vocabulário neutro, por verificar a informação e por denunciar todas as tentativas de desinformação.

Os jornalistas e a comunicação social devem concentrar-se em facultar aos cidadãos informações factuais e verificadas, evitando o sensacionalismo, que pode gerar o pânico e o alarme social.

A Carta de Ética Global para Jornalistas da Federação Internacional de Jornalistas (versão espanhola) deve ser uma referência em tempos de incerteza como este.

O SJ recorda ainda a nota (https://jornalistas.eu/nota-do-conselho-deontologico-sobre-a-cobertura-jornalistica-da-pandemia-de-coronavirus-2/) publicada pelo Conselho Deontológico, exortando os jornalistas ao cumprimento consciente e rigoroso do Código Deontológico.