Etiqueta: media

Os jornalistas e a verdade

A liberdade de expressão exige um nível de responsabilidade acrescido e uma maior literacia mediática, que possibilite a cada cidadão distinguir o tipo de informação que consome. Produzir informação não é fazer jornalismo e, por si só, não faz do produtor de informação um jornalista. Neste contexto, a Comissão da Carteira Profissional de Jornalista e o Sindicato dos Jornalistas alertam para a proliferação de meios e formas de comunicação no meio digital que se apresentam como sendo órgãos jornalísticos não o sendo e que transmitem informação não verificada, sem fundamento científico e/ou sem qualquer independência face a interesses nunca revelados, porque nada os obriga a isso. O jornalismo é uma atividade sujeita a escrutínio público e legal, que começa na formação do profissional e se desenvolve, na tarimba, diariamente, com alto grau de exigência técnica e ética, devendo o jornalista profissional cumprir o Código Deontológico dos Jornalistas e agir dentro do quadro ético-legal previsto no Estatuto do Jornalista, consolidado na… ler mais

Comunicado da CCPJ: Restrições de circulação anunciadas para os próximos dias

A declaração da situação de calamidade e as restrições de circulação entre os dias 30 de Outubro e 2 de Novembro decretadas pelo Governo não colocam em causa a liberdade de circulação dos jornalistas no exercício das suas funções. O direito de informação e o direito de acesso às fontes são direitos constitucionalmente garantidos e neste momento o país não se encontra em estado de exceção constitucional, pelo que esses direitos se mantêm intactos. Nem mesmo durante a vigência dos três estados de emergência na primavera deste ano esses direitos foram restringidos, pelo contrário: nessa altura, tanto os decretos do Presidente da República como os do Governo garantiram expressamente a sua salvaguarda. Na situação atual, não existe qualquer referência à liberdade de informação, nem era necessário que houvesse, pois não vivemos nenhum estado de exceção constitucional, antes perante uma pandemia que exige atuações responsáveis ​​por parte de todos, sem exceção, e também do cidadão que é jornalista. Assim, a CCPJ… ler mais

SJ exige mais medidas de apoio ao setor no Orçamento

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) considera que o próximo Orçamento do Estado (OE) não tem as medidas de apoio necessárias ao setor da comunicação social, cuja situação se agravou em contexto de pandemia. O Sindicato dos Jornalistas inicia hoje uma ronda pelos grupos parlamentares, no sentido de alertar os diversos partidos para a necessidade de reforçar as medidas de apoio ao setor durante a discussão na especialidade do OE para 2021. Em audiência com o secretário de Estado do Cinema, Audiovisual e Media, no dia 23, o SJ transmitiu preocupação perante a ausência de apoios imediatos e urgentes, de curto e longo prazos, aos órgãos de informação, severamente impactados pela pandemia. O SJ disse mesmo não compreender a razão de não aplicar a devolução do IVA – medida proposta pelo Governo em sede do OE para 2021 para os setores da hotelaria, restauração e cultura – aos conteúdos jornalísticos. Aliás, esta proposta consta do documento com um conjunto de propostas… ler mais

Uma informação em mudança em tempos de pandemia

O Gabinete de Estudos Televisivos da Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação, realiza na próxima segunda-feira, dia 19 de outubro, às 18h00, um webinar sobre “Uma informação em mudança em tempos de pandemia”. Participam Hugo Gilberto da RTP, Lurdes Baeta da TVI e Pedro Cruz da SIC,  com moderação de Felisbela Lopes. Sofia Branco, presidente da Direção do Sindicato dos Jornalistas é a relatora.

SJ apela à ação contra utilização de conteúdos não jornalísticos

O Sindicato dos Jornalistas vê com elevada preocupação o aumento de situações em que as imagens (vídeo ou fotografias) e os sons usados pelos órgãos de comunicação social são cada vez mais cedidos por agências de comunicação e/ou instituições públicas e privadas, ao invés de serem recolhidos pelos próprios órgãos de comunicação social e seus jornalistas. Nos dias de hoje, em que os recursos são escassos e as redações estão depauperadas, os órgãos de comunicação social optam, na maior parte das vezes, pelo caminho mais fácil, utilizando estes conteúdos cedidos, que estão longe de ser jornalísticos. Este cenário ganha ainda mais gravidade pelo facto de existirem cada vez mais órgãos de comunicação social a recorrerem a despedimentos e/ou layoff dos seus jornalistas, repórteres fotográficos e repórteres de imagem. Julgamos que não é necessário evidenciar que a utilização recorrente de imagens cedidas pelas agências de comunicação, clubes desportivos, instituições públicas ou privadas é uma violação da lei, mas, principalmente, coloca em… ler mais

SJ recebido pelo presidente do PSD 

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) foi hoje recebido, a seu pedido, pelo presidente do PSD, Rui Rio, a quem traçou o retrato das crescentes debilidades da comunicação social a nível nacional e regional e informou sobre um conjunto de propostas para o futuro da comunicação social que depositou junto do Presidente da República, da Assembleia da República e do Governo em dezembro. Na audiência, na sede do Partido Social-Democrata no Porto, o SJ alertou para a fragilidade do setor, agravada com a pandemia, e para a ausência de medidas de apoio extraordinárias no sentido de proteger e reforçar um jornalismo livre e independente, pilar fundamental de uma sociedade democrática. O Sindicato dos Jornalistas recordou que o setor não teve qualquer ajuda do Estado durante a pandemia e frisou que os 15 milhões de euros anunciados para a  comunicação social em abril não só não são um apoio extraordinário, uma vez que a verba estava já definida para compra de publicidade institucional,… ler mais

Trabalhadores de A BOLA sem subsídio de férias

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) recebeu queixas de vários jornalistas do jornal “A Bola” por não lhes ter sido pago o subsídio de férias sem que lhes tenha sido dada justificação aceitável para o atraso na liquidação desta verba. A situação é ainda mais grave para os jornalistas integrados no novo processo de lay-off, que teve início a meio do mês de agosto, o que deixa alguns trabalhadores com quebra de rendimento há mais de seis meses, já que a maioria foi igualmente integrada no lay-off simplificado que o Governo criou para fazer face à crise provocada pela pandemia do covid-19, que terminou a 31 de julho. Assim, entende o SJ que a Sociedade Vicra Desportiva e a Vicra Comunicações (proprietárias do jornal “A Bola”, da Autofoco e de A Bola TV) devem ter em consideração que este atraso no pagamento do subsídio de férias, além de ser uma dupla penalização para os trabalhadores em lay-off, motiva situações verdadeiramente aflitivas… ler mais

Ministra da Justiça garante respeito pela liberdade de imprensa

A ministra da Justiça garantiu hoje ao Sindicato dos Jornalistas (SJ) o total respeito pela liberdade de imprensa e pelo princípio da igualdade entre órgãos de comunicação social, na sequência de queixas por parte de jornalistas relacionadas com restrições no acesso à informação. Francisca Van Dunem recebeu o SJ em audiência, a seu pedido, efetuado imediatamente após o comunicado publicado a 8 de setembro em que o SJ dava conta de impedimentos no acesso à conferência de imprensa de apresentação da estratégia de combate à corrupção 2020-24, organizada pelo Ministério da Justiça. Francisca Van Dunem reconheceu que a iniciativa teve “problemas de organização” e “dificuldades de ordem técnica, que impossibilitaram as perguntas à distância” por parte dos jornalistas que não tinham sido convidados a estarem presentes na sala onde a estratégia foi apresentada, com limitações de espaço maiores em tempo de pandemia. A ministra assinalou que se tratou de “uma conjugação infeliz de circunstâncias” e assegurou que “não houve, nem… ler mais

Morreu Vicente Jorge Silva

O jornalista Vicente Jorge Silva morreu na madrugada desta terça-feira. Foi o primeiro diretor do jornal “Público”, que fundou, depois de se ter distinguido, como jornalista, no “Comércio do Funchal” e no “Expresso”, onde também criou e dirigiu a “Revista” do semanário. Além do jornalismo, abraçou ainda projetos ligados ao cinema, outra das suas grandes paixões. Pelo meio filiou-se no Partido Socialista e foi eleito deputado pelo círculo de Lisboa. Vicente Jorge Silva nasceu no Funchal, na Madeira, a 8 de novembro de 1945. Tinha 74 anos. O Sindicato dos Jornalistas lamenta a sua morte e envia as mais sentidas condolências à família, amigos e camaradas de profissão. O corpo de Vicente Jorge Silva, estará a partir das 19h00 de hoje, na Basílica da Estrela. Amanhã, às 15h00 haverá uma cerimónia fúnebre, seguindo depois  para o cemitério dos Olivais onde será cremado, em cerimónia privada.  

SJ pergunta onde estão os milhões prometidos pelo Estado à Comunicação Social

Na segunda-feira completam-se quatro meses desde a conferência de imprensa em que o Governo anunciou um apoio de emergência para as empresas de comunicação social. Uma ajuda que consistia, apenas, no adiantamento de verbas destinadas à compra de publicidade institucional, isto é, pagar antes o que o Estado previa gastar durante o ano. A não ser que aconteça uma surpreendente transferência de última hora, vão completar-se 120 dias desde que a promessa foi feita, chegando-se, assim, a um ponto em que o adiantamento é já um atraso. Como há publicidade contratualizada que foi já emitida ou divulgada, isto é, há serviços que já foram prestados, conclui-se o que o Estado está, neste momento, em dívida com as empresas de comunicação, curiosamente o único setor empresarial que ainda não recebeu qualquer tipo de apoio extraordinário desde que começou a pandemia. O SJ reitera que a ajuda prometida – de 15 milhões de euros, que, descontado o IVA aplicado a serviços prestados,… ler mais