QUINTA-FEIRA
19 de Outubro de 2017 | 09:55

Jornalista francês detido na Turquia

Publicado a 03/08/2017 NOTÍCIAS

FIJ, FEJ e sindicatos franceses querem a libertação imediata de Loup Bureau, acusado de apoio a uma organização terrorista. Ministério francês dos Negócios Estrangeiros está a acompanhar o assunto "com muita atenção".


Colaborador das cadeias de televisão Arte e TV5 Monde e o site Slate, o jornalista francês Loup Bureau foi detido no final de julho, na província turca de Sirnak, junto à fronteira com o Iraque, sob acusação de apoio a uma organização terrorista, conforme refere a Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ) que se junta à sua congénere europeia (FEJ) e aos sindicatos gauleses no apelo à libertação imediata do profissional.

A FIJ revela dados, divulgados pela agência turca Anadolu, segundo os quais Bureau é acusado por causa de uma reportagem sobre milícias curdas sírias das unidades de proteção do povo (YPG) que realizou em 2013 e foi transmitida pela TV5 Monde.

No momento da detenção, o jornalista de 27 anos estaria na posse de fotos e entrevistas com os referidos combatentes das YPG.

Informado acerca da detenção do compatriota, o Ministério francês dos Negócios Estrangeiros diz acompanhar "com muita atenção" o assunto e uma fonte diplomática, citada pela FIJ, indica que "a embaixada francesa em Ancara está em contacto com as autoridades locais para acionar, o mais depressa possível, a proteção consular".

A FIJ recorda outros três casos, dois franceses (Mathias Depardon e Olivier Bertrand) e um turco, Deniz Yücel, correspondente ao serviço do jornal alemão Die Zeit, de jornalistas que foram detidos pelas autoridades turcas - os dois primeiros acabaram expulsos da Turquia e o terceiro continua atrás das grades desde fevereiro. Além disso, Murat Güres e Furkan Göksen foram ontem presos preventivamente na província de Gaziantep.






Versão para Imprimir