Menu Fechar

SJ questiona Governo sobre corte imposto à agência Lusa

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) questionou hoje os Ministérios da Cultura e das Finanças sobre o corte de quase 500 mil euros imposto à agência Lusa, inserido no orçamento hoje aprovado em assembleia geral de acionistas.

Apesar de estarmos em julho, o orçamento da Lusa para 2019 só hoje foi aprovado pelos acionistas da agência de notícias, reunidos em assembleia-geral.

O Plano de Atividades e Orçamento da Lusa, cuja votação vinha sendo adiada sucessivamente desde março, foi aprovado por todos os acionistas, tendo o Estado feito uma declaração de voto, que impõe que os Fornecimentos e Serviços Externos sejam limitados a 3,630 milhões euros em 2019 e o investimento a 800 mil euros este ano e 688 mil euros em 2020.

O que estava aprovado pelo Conselho de Administração da Lusa para a rubrica referida era um montante de 4,092 milhões euros, o que significa, portanto, um corte de 462 mil euros.

Segundo a própria administração da Lusa,  o “orçamento não é possível de ser cumprido, a não ser com uma redução brutal na rede de correspondentes nacionais e internacionais”, o que leva o SJ a alertar, de novo, para o efeito que o corte referido causará no serviço público assegurado pela única agência de notícias do país.