Vigília em Lisboa e no Porto em defesa do serviço público de rádio e de televisão

Os trabalhadores na RTP decidiram promover uma vigília junto à residência oficial do primeiro-ministro, em Lisboa, no dia 17 de Setembro, às 19h30, e outra, simultânea, no Monte da Virgem, no Porto, em defesa do serviço público de rádio e de televisão.

A decisão foi tomada em plenário de trabalhadores realizado hoje, dia 12, na sede da empresa e nas delegações do Porto, Madeira e Açores, e consta de uma moção apresentada pelos sindicatos representativos dos trabalhadores ao serviço da RTP (Sindicato dos Jornalistas, STT, SINTTAV, SMAV, FE, SITIC, STE), que convocaram o plenário.

A moção, aprovada por unanimidade e aclamação, apela à solidariedade e participação nesta vigília do movimento sindical e da sociedade civil, designadamente do Movimento em defesa do serviço público de rádio e de televisão.

O documento, que se publica em ficheiro anexo, inclui outras iniciativas a desenvolver de imediato, como seja a deslocação de trabalhadores e dirigentes sindicais à Presidência da República, no dia 14 de Setembro, às 15 horas, para entregar a Cavaco Silva um “veemente apelo para que rejeite qualquer modelo que ponha em causa a RTP e os Serviços Públicos de Rádio e de Televisão, violando a Constituição da República”.

Os trabalhadores decidiram ainda “participar nas acções de luta que as centrais sindicais venham a promover em protesto contra as medidas de austeridade que o Governo pretende impor aos trabalhadores, reformados e pensionistas”, e realizar, em data a anunciar, uma Conferência sobre os Serviços Públicos de Rádio e de Televisão.

Entretanto, amanhã, os sindicatos representativos dos trabalhadores ao serviço da RTP vão ser recebidos em audiência pelos grupos parlamentares do PCP (14h30), BE (15h30) e Partido Ecologista Os Verdes (17h00). Os sindicatos ainda aguardam resposta aos pedidos de audiência solicitados ao PS, PSD e CDS.


Ficheiros em Anexo