Reuters promove projeto fotográfico sobre COVID-19

Pode uma imagem valer mil palavras? A Thompson Reuters Foundation (TRF) juntou-se à Omidyar Network para lançar o “COVID-19: The Bigger Picture”, um projeto que combina um prémio global de fotografia, com uma cobertura noticiosa de excelência para colocar sob os holofotes as profundas desigualdades sociais que esta crise de saúde veio agravar.

Esta competição global de fotografia está aberta a todos os que partilham a paixão de observar e registar as vidas reais que não chegam a ser notícia e a habilidade de capturar as mais poderosas imagens que o impacto da pandemia tem no dia-a-dia dessas vidas, e que de outra maneira não seriam conhecidas. Os vencedores receberão masterclasses em fotojornalismo, ministradas pelos peritos da TRF, e ficarão com competências ao nível da construção visual das histórias, com a ajuda de workshops e tutorias. Também será oferecido a oportunidade de trabalhar ao lado da equipa noticiosa da TRF, numa história que será partilhada pela cadeia noticiosa.

Quando o planeta inteiro é afetado pela COVID-19, e o mundo reage à devastação causada por esta crise sem precedentes, os fotojornalistas tornam-se essenciais para darem a conhecer o problema e as repercussões na vida de milhões de pessoas. Um pouco à semelhança da guerra do Vietnam, que ficou conhecida pela guerra que a fotografia terminou. O “The Bigger Picture” usa o poder do jornalismo e da fotografia, para chamar a atenção do planeta sobre o impacto da pandemia nos mais vulneráveis. Histórias que, de outra forma, seriam ignoradas.

As vozes que lutam por ser ouvidas, e muitas vezes pertencem aos mais vulneráveis, têm de ser ouvidas. Os fotojornalistas são dos mais qualificados para contar estas histórias.

Em Portugal, vários órgãos de comunicação social registaram e contaram inúmeras histórias que tornaram a pandemia próxima de todos, denunciando vários problemas que de outra maneira não seriam conhecidos. Um dos exemplos desse esforço é o projeto fotográfico EverydayCovid (https://www.instagram.com/everydaycovid/?hl=pt), que juntou vários fotógrafos e fotojornalistas espontaneamente, com o único propósito de contarem as histórias que talvez nunca chegassem às paginas dos jornais. Com um impacto enorme, o projeto foi divulgado em vários programas de informação e entretenimento, enaltecendo o valor da imagem para contar uma história. No final, será publicado um livro com parte das fotografias captadas, para que a história possa sair do efémero das páginas dos jornais, ou da imensidão, por vezes banal, da internet.

A Fotografia foi umas das invenções mais marcantes do Século XIX, e ao longo de mais de cento e cinquenta anos, um meio importante para a construção da memória. Mas o alcance do seu impacto parece não ser ainda devidamente entendido. Apesar de revelar novas possibilidades às artes plásticas, alargar horizontes culturais e artísticos, permitir o aparecimento do cinema, abrir o caminho aos meios audiovisuais, permitir mostrar a todos as profundas mudanças sociais ocorridas no planeta, ajudar ao processo de globalização e abrir novas portas na investigação científica, sofreu um processo de banalização.

Nos anos 90 do século passado, surgem os primeiros sinais de crise no fotojornalismo, com a multiplicação de imagens, por vezes aleatórias, nas páginas dos jornais, desgastando a fotografia ao ponto de a tornar banal aos olhos do leitor.

O Fotojornalismo não deixa de ser uma forma de arte. No entanto, possui características próprias e bem distintas, como trazer informações claras e concisas ao observador através das imagens, e assim tornar possível que notícias e acontecimentos ganhem vida, cor e rostos. Com isso, ajuda a despertar emoções.