Yuri Bagrov condenado por uso de documentos falsos

Um tribunal de Vladikavkaz, capital da Ossétia do Norte, na Rússia, multou a 17 de Dezembro o jornalista Yuri Bagrov em 15 mil rublos (cerca de 500 euros) por alegado uso de documentos falsos para obtenção da cidadania russa.

Em declarações ao Comité para a Protecção dos Jornalistas (CPJ), o repórter georgiano revelou que esta condenação o torna vulnerável à deportação, garantindo no entanto que, a 20 de Dezembro, vai recorrer do caso para o Supremo Tribunal da Ossétia do Norte.

Temendo que a condenação de Yuri Bagrov esteja relacionada com o seu trabalho jornalístico, a directora-executiva do CPJ, Ann Cooper, instou o presidente russo Vladimir Putin a “garantir pessoalmente” que as acusações contra Bagrov não têm motivos políticos.