Tribunal dinamarquês iliba responsáveis pelas caricaturas de Maomé

O tribunal dinamarquês de Aarhus ilibou, a 26 de Outubro, os responsáveis do “Jyllands Posten” que em Setembro de 2005 permitiram a publicação de doze caricaturas de Maomé, alegando que os desenhos em causa “não tinham carácter ofensivo”.

Kasem Said Ahmad, porta-voz do grupo de sete associações muçulmanas da Dinamarca que em Março processou por injúrias o chefe de redacção Carsten Juste e o responsável pelas páginas culturais do “Jyllands-Posten” Flemming Rose, mostrou-se desiludido com a sentença e informou que o grupo vai recorrer da decisão.

Recorde-se que a polémica das caricaturas provocou manifestações violentas de crentes muçulmanos em vários países, tendo a reprodução das imagens por parte de outros jornais conduzido a diversos tipos de ataques contra jornalistas e órgãos de comunicação em países como o Iémen, a Indonésia, a Malásia, a Arábia Saudita, a Jordânia, a Argélia, a Índia, a França ou a África do Sul.