SJ questiona autoridades sobre desrespeito das funções de jornalista

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) recebeu uma queixa do jornalista Ricardo Esteves Ribeiro, do projeto Fumaça, relatando ter sido impedido de exercer as suas funções pela PSP, durante a intervenção ocorrida no Largo de Santa Bárbara, em Lisboa, no dia 8 de junho.

“Eu levei com gás lacrimogéneo na cara, fui empurrado com bastões, imobilizado com um braço atrás das costas e empurrado duas vezes contra a parede, já fora do perímetro de segurança. No total, gritei 22 vezes ‘sou jornalista’ e identifiquei-me como tal segurando a minha carteira profissional na mão, enquanto empunhava um microfone e fazia repetidamente duas simples perguntas: ‘Porque é que estão a empurrar as pessoas?’ e ‘Alguém fez alguma ilegalidade?’”, conta o jornalista, na queixa enviada.

A situação descrita é grave e viola vários artigos do Estatuto dos Jornalistas, da Lei da Imprensa e da própria Constituição, pelo que o SJ pediu esclarecimentos urgentes à Procuradoria-Geral da República, ao Ministério da Administração Interna, à Polícia de Segurança Pública e à Entidade Reguladora para a Comunicação Social.