Jornalistas europeus apoiam greve na RTP e RDP

O presidente da Federação Europeia de Jornalistas (FEJ), Arne König, declarou, na tarde de 17 de Fevereiro, que os jornalistas europeus apoiam a greve dos seus colegas portugueses da RTP e da RDP, pela defesa dos seus direitos e do sector público dos média.

“É essencial para a defesa do serviço público de radiodifusão que os empregadores sejam responsáveis e não cometam actos contra o interesse do sector público dos média”, disse o presidente da FEJ, que classificou a intransigência do conselho de administração da RTP como “não aceitável”.

Arne König acrescentou: “Na Europa, os sindicatos negoceiam acordos colectivos e a administração não pode excluir o sindicato dos jornalistas, ou qualquer outro, do processo de negociação. Insistimos em que a administração reabra as conversações, particularmente porque os operadores públicos devem garantir o respeito pelos direitos sociais e pela qualidade nos média”.

A FEJ comunicou a sua posição e o apoio à greve ao ministro da tutela, Morais Sarmento, e ao presidente do CA da RTP, Almerindo Marques, e apelou a todos os sindicatos europeus de jornalistas para manifestarem o seu apoio. A FEJ representa cerca de 280.000 mil jornalistas em 33 países da Europa.

A greve na RTP e na RDP conta também com o apoio da Federação Internacional de Jornalistas (FIJ), que tem acompanhado o desenvolvimento da situação com noticiário no sítio da organização.