Jornalistas em greve de 24 horas na Grécia

Os jornalistas gregos cumprem hoje, 8 de Maio, uma greve de 24 horas em protesto contra a má gestão que o governo fez dos fundos de reforma e de seguros dos trabalhadores, incluindo o fundo dos profissionais da comunicação social.

Sob pressão política, os gestores do fundo dos jornalistas investiram 130 milhões de euros em títulos com poucas garantias de fiabilidade, o que coloca gravemente em risco a capacidade do fundo para cumprir com as suas obrigações financeiras, acusam os sindicatos que convocaram a greve e que têm o apoio da Federação Europeia de Jornalistas (FEJ).

“Parece que o governo está a jogar à roleta com as vidas dos seus funcionários. Os jornalistas, tal como outros trabalhadores do sector público, têm o direito de protestar contra os riscos escandalosos que foram assumidos e exigir novas medidas para proteger os direitos laborais”, afirmou o secretário-geral da FEJ, Aidan White.

Os sindicatos gregos exigem a devolução imediata do dinheiro gasto na compra de títulos, juntamente com os juros do capital investido, bem como a garantia da existência e gestão independente dos fundos de seguros através da eleição da administração e da garantia de um escrutínio público eficaz.

As estruturas sindicais pretendem ainda assegurar que as reservas oferecem garantias estáveis de retorno, garantir os direitos fundamentais dos trabalhadores e padrões aceitáveis relativos a seguros e a reformas, e processar judicialmente todos os responsáveis pela má gestão dos fundos.