Jornalistas do audiovisual de Itália aderem em massa à greve

Os jornalistas das rádios e das televisões italianas aderiram em grande número à greve decretada para 7 e 8 de Outubro pela Federação Nacional da Imprensa Italiana (FNSI), seguindo assim o exemplo dado uma semana antes pelos seus camaradas de trabalho da imprensa escrita.

De acordo com a FNSI, a paralisação fez-se sentir não só nos telejornais e nos noticiários da rádio, como também em dezenas de rubricas de informação, que tiveram de ser canceladas pelas estações.

“A extraordinária adesão à greve testemunha a vontade dos jornalistas italianos de não cederem às tentativas das organizações patronais de acabar com o jornalismo regulado e tutelado e de utilizar o trabalho autónomo e precário para reduzir os custos e poder contar com um jornalismo servil e recatado”, afirmou em comunicado a FNSI.

A organização destacou ainda a participação na greve de inúmeros jornalistas freelance e precários, apesar dos elevados riscos profissionais que tal posição representa para estes, e informou que a 18 de Outubro realizará reuniões para decidir o momento e o tipo de eventuais novas iniciativas de luta.