Jornalista russo libertado

Um tribunal da cidade russa de Smolensk decidiu, a 19 de Agosto, colocar em liberdade o jornalista Nikolai Goshko, condenado em Junho a passar cinco anos num campo prisional pelo crime de difamação.

O chefe de redacção do semanário “Odintsovskaya Nedelya” teve conhecimento da sentença, que surpreendeu a todos pela sua severidade, a 6 de Junho, na sequência de um processo por difamação, tendo então interposto recurso.

O processo foi-lhe movido por, em Julho de 2000, ter acusado as autoridades de Smolensk de serem mandantes do homicídio de Sergey Novikov, director da Radio Vesna, da qual era correspondente.

O Comité para a Protecção dos Jornalistas (CPJ) revelou-se satisfeito com a notícia, mas lembrou que o jornalista não devia sequer ter sido preso e apelou a que as autoridades russas se esforcem no sentido de apurar quem matou Sergey Novikov, abatido a tiro no prédio onde residia a 26 de Julho de 2000, alegadamente devido à posição crítica da Radio Vesna face ao governo.