Jornalista japonês detido na Rússia

O jornalista freelance japonês Kosuke Tsuneoka foi detido a 19 de Novembro em Nazran, na Inguschia, e acusado de “violar ordens administrativas”, o que lhe poderá valer uma multa e cinco anos de proibição de entrada em território russo, segundo a agência noticiosa ITAR-TASS.

Especialista no Cáucaso, o repórter nipónico chegou à Rússia a 24 de Outubro e começou por investigar uma organização de mães de soldados em Moscovo, partindo depois para Vladikavkaz, onde se encontrou com vítimas da tragédia de Beslan.

Porém, em Nazran, foi detido por guardas e acusado de realizar entrevistas sem qualquer registo ou acreditação oficial, algo que, segundo a Repórteres Sem Fronteiras (RSF), é virtualmente impossível naquela região russa, devido ao aumento das ‘zonas de acção antiterrorista’ na sequência da tragédia de Beslan.

Em carta enviada ao ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergey Lavrov, a organização alegou que “seria desproporcionado proibir um jornalista de entrar durante cinco anos na Rússia só porque falou com refugiados e sobreviventes da tragédia de Beslan”.

Recorda-se que, a 1 de Setembro, um grupo de indivíduos armados fez centenas de reféns numa escola de Beslan, na Ossétia do Norte. O caso terminou com várias vítimas mortais.