Emissora pública grega faz acordo com jornalistas

A emissora pública grega ERT aceitou proporcionar contratos de trabalho permanentes a uma grande maioria dos jornalistas que nela trabalhavam, depois de meses de negociação para resolver os muitos casos de profissionais com contratos precários de curto prazo.

O acordo foi saudado pela Federação Europeia de Jornalistas (FEJ), cujo presidente, Arne König, disse esperar que outros países sigam o exemplo grego, já que este “mostra que o aumento dos contratos temporários e de curta duração pode ser evitado”.

Antes deste acordo, alcançado em Dezembro de 2005, uma grande maioria dos jornalistas da ERT eram considerados “colaboradores independentes”, e os seus contratos de trabalho tinham de ser renovados a cada dois ou três meses, sem que tivessem direito a eventuais indemnizações ou subsídios de desemprego e com salários abaixo daquele previsto nos acordos de contratação colectiva da emissora.

“As chamadas formas atípicas de trabalho devem permanecer como excepção. Os jornalistas de toda a Europa precisam de empregos seguros e direitos laborais garantidos”, afirmou Arne König, frisando que a FEJ continuará a lutar por estes princípios.