Dois partidos espanhóis boicotam órgãos de comunicação

O Partido Popular (PP) decidiu não conceder entrevistas nem participar em debates ou programas de meios de comunicação detidos pelo Grupo Prisa, em retaliação a declarações do empresário Jesús Polanco. O Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), por seu lado, recusou-se a participar em recentes debates promovidos pela estação televisiva Telemadrid.

A Federação de Sindicatos de Jornalistas espanhola (FeSP) critica a posição dos dois partidos, considerando que “boicotar um grupo de comunicação por discordar das declarações de um empresário não é sustentável num sistema democrático”.

Para aquela organização, “cada partido tem todo o direito de levar a cabo a política informativa que considere pertinente, mas não deve tentar que os jornalistas se envolvam no debate político”.

Para a Junta Executiva Federal da FeSP, o boicote a um grupo de comunicação prejudica o direito dos cidadãos a receber informação, pelo que insta os responsáveis daqueles partidos políticos a rever a sua posição, em benefício dos direitos dos jornalistas em aceder à informação e aos dos cidadãos em recebê-la.