Uso de imagens amadoras pelas televisões gera polémica

O Chartered Institute of Journalists (CIoJ) considera que o apelo que televisões como a ITV, a BBC e a CNN fazem aos espectadores para que enviem imagens de telemóvel de acontecimentos na sua zona é “totalmente inaceitável” e “raia a irresponsabilidade”.

A organização critica sobretudo o programa “London News Tonight”, da ITV, que incita os espectadores a registarem-se para que possam ser contactados pela estação sempre que algo acontece na sua zona, “de modo a que se sintam parte do entusiasmante mundo do jornalismo”.

“O que é que acontece se um espectador ficar gravemente ferido enquanto participa nesse entusiasmante mundo do jornalismo? A ITV vai ajudá-lo e pagar as contas do médico?”, questiona a organização, considerando ainda mais insultuoso que a estação coloque no seu sítio Web a informação de que as imagens enviadas poderão ser repassadas para outros órgãos sem que haja lugar a qualquer pagamento ao respectivo autor.

“A utilização de imagens de fotógrafos amadores que estavam no local de um acontecimento sempre foi aceitável. No entanto, a tentativa que agora se faz de encorajar os espectadores a sair para obter imagens e entregá-las à estação é totalmente inaceitável e raia a irresponsabilidade”, afirma o CIoJ em comunicado.

Para a organização, esta atitude das televisões é uma exploração dos espectadores e um desrespeito para com os seus profissionais de imagem, pelo que instam os primeiros a não enviarem quaisquer fotografias ou filmagens para os canais que o solicitam.

A cadeia norte-americana CNN é vista pelo CIoJ como o exemplo máximo da exploração, pois além de esperar que lhe seja enviado material sem pagar por ele, declara no seu sítio Web que os autores são responsáveis por “indemnizar, defender e proteger a CNN de todas as acções ou perdas” que resultem das filmagens.

As reacções dos visados

Em jeito de defesa, Nick Wrenn, editor-executivo da CNN International, afirmou que “a tecnologia está a causar grandes mudanças no jornalismo, pois já não é preciso um cartão de imprensa para captar as notícias”.

Afirmando que é preciso ir aprendendo dia-a-dia a lidar com estas situações, o responsável da CNN contesta fortemente a acusação de irresponsabilidade feita aos órgãos de informação e sublinha que o público envia as imagens mesmo sem que tal lhe seja pedido.

Também a BBC afirma que o público colabora voluntariamente desde há algum tempo, e garante que, no seu caso, os direitos de autor do material permanecem com o autor e que, como organização de serviço público que é, a BBC não o considera exclusivo nem o revende o material para obter benefícios comerciais.

Porém, o mesmo não se passa com a ITV News, que recebeu as imagens da captura de Muktar Said Ibrahim e Ramzi Mohammed, suspeitos de envolvimento nos atentados de Londres, e as passou para a Sky e para a BBC com a indicação de “exclusivo” da ITV.

Relativamente ao programa “London Tonight”, o editor Stuart Thomas diz que não encoraja as pessoas a sair e obter fotografias de notícias de última hora, pois tal seria “claramente irresponsável”, mas reconhece possuir “uma base de dados de espectadores com telemóveis com câmara aos quais são solicitadas fotografias após um acontecimento”.