Sindicato Russo de Jornalistas recebe ordem de despejo

O Sindicato Russo de Jornalistas (SRJ) recebeu a 16 de Maio uma ordem de despejo da Agência Federal de Gestão de Património, datada de 18 de Abril e dando à organização um mês para sair das instalações que ocupa desde 1980, revelou ao Comité para a Protecção dos Jornalistas (CPJ) o secretário-geral do SRJ, Igor Yakovenko.

Segundo o dirigente sindical, a entidade estatal não explicou a decisão de despejo, mas a imprensa russa noticiou entretanto que as instalações deverão ser entregues à estação televisiva por satélite Russia Today, um canal em língua inglesa criado pelo governo em 2005, cujo objectivo é exponenciar a imagem internacional do país.

“Esta acção e o seu timing são claramente políticos e enviam uma mensagem perturbadora. Quando jornalistas internacionais se prepararam para se reunir em Moscovo a 28 de Maio, o governo despeja um grupo independente de jornalistas em favor de um órgão que se dedica a propaganda”, contestou Joel Simon, director-executivo do CPJ, instando as autoridades a reconsiderar a atitude tomada.

O evento a que o CPJ se refere é o 26.º Congresso Mundial de Jornalistas, organizado pela Federação Internacional de Jornalistas, que levará até Moscovo representantes de mais de 160 organizações de todo o mundo. A liberdade de imprensa na Rússia é justamente um dos temas em debate no Congresso.

Além do SRJ, outros dois grupos de defesa da liberdade de imprensa que estão sediados no edifício da Zubovsky Boulevard e que têm sido críticos do governo – o Centro para o Jornalismo em Situações Extremas e o Fundo de Defesa Glasnost – também receberam ordem de despejo.