Recuo da administração evita greve no Telegraph

A greve de três dias marcada para esta semana nos dois principais jornais do grupo britânico Telegraph foi suspensa devido ao recuo da administração, que desistiu de obrigar o pessoal da produção a trabalhar aos sábados e retirou as ameaças de impor novos turnos, optando pela via negocial e pelo pagamento de 5 mil libras (7500 euros) extra aos jornalistas que se ofereçam para horários mais flexíveis.

Perante esta reviravolta na postura negocial da empresa, o sindicato suspendeu a greve, mas alertou que a paralisação seria reactivada caso houvesse tentativas de impor turnos impraticáveis ou injustos.

Jeremy Dear, secretário-geral do Sindicato Nacional de Jornalistas britânico (NUJ), congratulou-se com a decisão da empresa e sublinhou que os importantes resultados obtidos pelos profissionais do Telegraph só foram possíveis devido à pressão sindical concertada.