Profissionais da TVE contra entrega de programa a privados

Os trabalhadores da Televisão Espanhola (TVE) e as suas organizações sindicais opõem-se a que a produção do programa “Espanha Directo” seja adjudicada a uma empresa privada.

Os trabalhadores defendem que programa deve ser realizado com meios próprios da TVE, que tem capacidade técnica e humana suficiente para o produzir. Alegam, por outro lado, que a contratação de uma empresa privada para produzir um programas informativo afecta directamente a essência do que é um serviço público: o direito à informação.

O Foro de Organizações de Jornalistas de Espanha (FOP) reuniu-se em Madrid, a 12 de Julho, para debater a questão e lamenta que a TVE tenha tomado a decisão de “externalizar” o programa “Espanha Directo”, quando é conhecido o projecto de reforma legal impulsionado pelo governo para a entidade pública RTVE e a Agência de Notícias EFE.

Para o FOP, “esta e outras formas empresariais de actuar em nada contribuem para a estabilidade e o futuro do emprego e das condições de trabalho na TVE e, como consequência, em todo o sector do audiovisual”.

O FOP reitera o seu “compromisso com os meios públicos de comunicação e o seu convencimento de que só através da sua consolidação e desenvolvimento” poderá ser garantido “o direito dos cidadãos a uma informação plural, contrastada e verdadeira”.