Polícia francesa tenta levar jornalistas a revelar fontes

Agentes policiais da cidade francesa de Orleans interrogaram, a 3 de Maio, dois jornalistas do diário “Le Berry Républicain” com o objectivo de os levar a revelar as fontes usadas em notícias sobre a investigação de um assassinato.

Sem aviso prévio, três agentes à paisana entraram nas instalações do jornal em Issoudun por volta das 10 da manhã e interrogaram uma jornalista durante uma hora, sem conseguirem que esta revelasse as fontes de artigos escritos por ela e por outro jornalista, nas edições de 30 de Abril, 2 de Maio e 3 de Maio, sobre um assassinato em que o corpo nunca foi encontrado.

Depois, os polícias dirigiram-se ainda à redacção principal, em Bourges, para falar com o segundo jornalista. Porém, como este estava de folga, os agentes dirigiram-se até casa dele para o questionarem acerca das suas fontes.

Os interrogatórios foram ordenados pelo procurador-adjunto do Estado em Châteauroux e mereceram a crítica da organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF), que considerou “chocante que no Dia Mundial da Liberdade de Imprensa a polícia tenha questionado dois jornalistas e tentado descobrir as suas fontes como parte de um inquérito preliminar a uma alegada quebra de segredo de investigação criminal”.