Morte suspeita de jornalista russo

O jornalista Ivan Safronov, especialista em assuntos militares do diário “Kommersant”, morreu na tarde de 2 de Março, após cair de uma altura superior a quatro andares a partir de uma janela do prédio onde vivia.

Segundo informações reproduzidas pelo Comité para a Protecção dos Jornalistas (CPJ), os procuradores consideram provável que se tenha tratado de um suicídio, mas os colegas e familiares de Ivan Safronov não acreditam nessa possibilidade, pois o jornalista andava bem disposto, não tinha quaisquer problemas domésticos, esperava um neto e não deixou qualquer nota a explicar um suicídio.

A suspeita de que se tratou de um assassinato está implícita no editorial do diário “Moskovsky Komsomolets”: “Por algum motivo são os jornalistas que não agradam às autoridades que morrem no nosso país. Safronov era um deles. Ele sabia demasiado sobre o estado real do nosso exército e da defesa e escrevia sobre isso. (…) Escrevia objectivamente e directo ao assunto e isso irritava bastante as autoridades”.

Por esse motivo, e dado o elevado número de jornalistas incómodos que já morreram em serviço na Rússia, o CPJ instou as autoridades de Moscovo a investigarem exaustivamente todas as pistas, incluindo a hipótese de assassinato.

Antigo coronel das Forças Espaciais Russas, Ivan Safronov tinha 51 anos e escrevia desde 1997 sobre assuntos militares e espaciais para o “Kommersant”, abordando temas incómodos como a morte de jovens soldados durante a recruta e o falhanço, não reconhecido oficialmente, de testes militares.

Os seus artigos levaram a que fosse questionado várias vezes pelos Serviços Federais de Segurança (FSB) por suspeitas de publicação de segredos de Estado, mas o jornalista nunca foi acusado de qualquer crime do género.