Juiza de Andorra autoriza registo dos telefonemas de jornalistas

Para tentar descobrir quem passava informações confidenciais aos jornalistas Toni Solanelles e Ricard Poy, a juiza Maria Àngels Moreno autorizou em Janeiro o registo das conversas telefónicas daqueles profissionais. A juiza não deu conhecimento da sua decisão ao procurador-geral Roberto Ampuy, que denunciou o caso ao Conselho Superior de Justiça de Andorra.

O caso tem gerado polémica em Andorra, com vários magistrados a discordarem da decisão da juiza e alegando que os jornalistas nunca foram constituídos arguidos, nem eram suspeitos na sequência de investigações policiais, o que constitui uma violação de direitos fundamentais como o da intimidade e o do sigilo profissional.

Entretanto, o governo de Andorra abriu uma investigação interna à polícia do principado para determinar se esta actuou conforme a lei quando solicitou à juiza a autorização para controlar as chamadas dos dois jornalistas do “Diari de Andorra”, por forma a descobrir quem andava a passar informação à imprensa, quebrando assim o segredo profissional a que estão obrigados os funcionários judiciais.