Jornalistas italianos aderiram em força à greve

A Federação Nacional da Imprensa Italiana (FNSI) está satisfeita com a adesão dos jornalistas italianos às primeiras jornadas de greve do último trimestre do ano, em protesto contra a recusa da Federação Italiana de Editores de Jornais (FIEG) em negociar nova contratação colectiva.

Nos próximos dias, os organismos da FNSI vão decidir as novas formas de mobilização e luta, podendo agendar outros oitos dias de greve até ao final do ano, e que se seguirão aos terceiro e quarto dia de greve dos jornalistas do audiovisual, previstos para 24 e 25 de Outubro.

Destacando a adesão maciça à greve dos jornalistas da imprensa e das agências de notícias, a federação sindical italiana elogiou ainda a união de centenas de elementos da classe no protesto realizado em Bolonha contra o Gruppo Poligrafici Editoriale, que tentou contornar a paralisação com iniciativas anti sindicais como a contratação de trabalhadores precários, por forma a fazer sair as publicações nos dias de greve.