Jornalistas investigados devido a caso de doping

Dominique Issartel e Damien Ressiot, do diário francês “L’Equipe”, vão ser formalmente investigados por suspeita de “terem ajudado a violar a confidencialidade de uma investigação judicial” a um escândalo de doping numa equipa de ciclismo, confirmou o tribunal de recurso de Versalhes.

Deste modo, tanto os dois profissionais do “L’Equipe” como três jornalistas do “Le Point” – semanário que publicou transcrições integrais de escutas realizadas a treinadores e ciclistas referidos no processo judicial contra a equipa Cofidis – vão ser chamados a tribunal e instados a revelar as suas fontes.

Segundo a Repórteres Sem Fronteiras (RSF), esta decisão judicial não combina com a promessa do ministro da Justiça, Pascal Clément, de dar maior protecção legal às fontes jornalísticas.

Além disso, o crime de que os jornalistas são acusados – “terem ajudado a violar a confidencialidade de uma investigação judicial” – motivou, em Janeiro de 1999, uma chamada de atenção do Tribunal Europeu dos Direitos Humanos à França, por ser contrário ao artigo 10º da Convenção Europeia dos Direitos do Homem.