Jornalistas do “Guardian” conquistam aumento salarial

A administração do diário britânico “Guardian” aceitou proceder a um aumento de 5,3 por cento aos jornalistas que asseguram a edição do jornal na Internet, cujos salários eram “escandalosamente inferiores” aos dos seus colegas da versão impressa.

Nas negociações com a empresa, os jornalistas conseguiram ainda que fosse reconhecida a necessidade de rever radicalmente o esquema de pensões, cujo valor, como denunciou o Sindicato Nacional de Jornalistas (NUJ), sofreu um decréscimo significativo desde que o sistema foi alterado, há 15 anos.

Depois de em Agosto as negociações entre as partes terem chegado a um impasse e de se ter sabido que os executivos seniores da empresa receberam bónus superiores a um milhão de libras (cerca de milhão e meio de euros), os trabalhadores sindicalizados decidiram efectuar uma votação para aprovar formas de luta, atitude que contribuiu para que a administração revisse a sua posição negocial.

“A votação deu voz à força colectiva dos jornalistas do Guardian e conseguiu provocar uma mudança enorme na oferta salarial original, superior a meio milhão de libras”, afirmou a dirigente sindical Helene Mulholland, esperando que este exemplo mostre a colegas de outros órgãos a importância de uma representação sindical activa e forte e contribua para melhorar a situação dos jornalistas numa altura em que tanto se fala em integração de redacções.