Jornalistas do grupo Telegraph aprovam greve

Questões relativas a despedimentos, mudança de instalações e de turnos, acumulação de tarefas e a saída súbita de vários jornalistas mais velhos levaram 76 por cento dos membros do Sindicato Nacional de Jornalistas (NUJ) britânico no grupo Telegraph a votar a favor de uma greve, cuja data será marcada em breve.

“Os nossos membros no Telegraph não tinham outra alternativa senão dar o derradeiro passo e aprovar a greve. A administração só se pode culpar a si mesma”, afirmou o secretário-geral do NUJ, Jeremy Dear, sublinhando que a recusa da empresa em consultar devidamente os trabalhadores acerca de diversos assuntos chave para o futuro dos vários jornais do grupo só poderia ter este desfecho.