Jornalista ucraniano agredido

Alexander Danutsa, director informativo e pivot da TV-Stymul em Kirovograd, na região central da Ucrânia, foi agredido brutalmente a 18 de Novembro, quando se dirigia aos estúdios da estação, por dois homens que lhe roubaram a câmara de filmar com a respectiva cassete.

Comentando o sucedido, a Repórteres Sem Fronteiras (RSF) lembra que o ataque se insere numa onda de perseguições aos média independentes do país no âmbito das eleições presidenciais de 21 de Novembro e, numa carta dirigida ao ministro do Interior ucraniano, Mykola Bilokon, apela à protecção urgente do repórter.

A cassete que foi roubada no momento da agressão continha imagens que relacionavam as autoridades locais com actividades fraudulentas respeitantes ao escrutínio e os indivíduos que atacaram Alexander Danutsa disseram-lhe que aquele era o último aviso para que parasse de fazer a cobertura do processo eleitoral.

O jornalista revelou que fora já ameaçado devido ao seu trabalho de acompanhamento da presidenciais na Ucrânia, tendo recebido telefonemas anónimos em que lhe diziam que o hospital aguardava por ele ou que tinha uma cova à sua espera no cemitério.

A própria TV-Stymul – que também emite programação da estação Kanal 5 na região de Kirovograd – recebeu diversas ameaças desde que começou a transmitir o programa noticioso de Alexander Danutsa.