Inquérito internacional aos assassinatos de jornalistas na Rússia

Representantes das principais organizações de defesa da liberdade de imprensa e membros de sindicatos de jornalistas da Rússia, Alemanha, França, Itália, Reino Unido, Países Baixos, Suécia, Finlândia e Dinamarca acordaram a 12 de Dezembro, em Londres, criar uma comissão de inquérito internacional relativa aos assassinatos de jornalistas cometidos na Rússia.

O encontro foi organizado pela Federação Internacional de Jornalistas (FIJ), que irá solicitar à antiga comissária para os Direitos Humanos das Nações Unidas, Mary Robinson, para dirigir a comissão de inquérito.

Segundo os presentes na reunião de Londres, a morte de Anna Politkovskaya, a 7 de Outubro, foi o ponto culminante da crise de impunidade na Rússia, pelo que é necessária uma acção internacional coordenada por sindicatos de jornalistas e defensores da liberdade de imprensa para começar a combater esta triste realidade.

Imediatamente antes do seu Congresso em Moscovo, que terá lugar entre 28 de Maio e 3 de Junho deste ano, a FIJ pretende realizar uma grande conferência sobre o trabalho da comissão de inquérito aos assassinatos de jornalistas na Rússia, a qual servirá de pano de fundo à apresentação de um livro e a uma manifestação de protesto pelos mais de 200 trabalhadores dos média mortos na Rússia desde 1993.