Governo alemão proíbe serviços secretos de usar jornalistas

O ministro alemão Thomas de Maizière, responsável pela coordenação dos serviços secretos, proibiu a inteligência germânica de usar jornalistas para identificar fontes dentro das suas organizações, anunciou a 15 de Maio o porta-voz do governo, Ulrich Wilhelm.

Esta foi a forma encontrada pelas autoridades da Alemanha para reagir a um relatório elaborado por Gerhard Schaefer, ex-juiz do Supremo Tribunal, segundo o qual o Serviço Federal de Inteligência (BND) vigiou diversos jornalistas durante anos com vista a desmascarar uma fonte dentro do próprio BND.

O referido relatório também menciona casos de jornalistas que foram escolhidos pelos serviços secretos ou se ofereceram voluntariamente para espiar colegas de profissão e venderem as informações ao BND.

Entre os órgãos de comunicação mais vigiados estão publicações como o “Der Spiegel”, a “Focus”, a “Stern” e o “Süddeutsche Zeitung”.