Fotógrafo catalão obrigado a entregar fotos às autoridades

O fotógrafo Jordi Ribot aceitou entregar às autoridades imagens de uma queima de fotografias dos reis de Espanha realizada em Girona, por forma a que o tribunal não o condenasse por um “delito grave de desobediência à justiça”.

Embora não seja o autor material das fotografias em causa, o jornalista é dono da empresa para a qual se captaram as imagens, pelo que foi ele o instado a testemunhar perante a Audiencia Nacional no âmbito deste caso.

Para o Sindicato de Jornalistas da Catalunha (SPC), o requerimento de que Jordi Ribot foi alvo é “inadmissível numa sociedade democrática porque não cabe aos jornalistas fazer o trabalho que corresponde aos corpos de segurança do Estado, mas antes trabalhar para o direito à informação dos cidadãos”.

O SPC frisou ainda que o que se passou pode colocar em risco os jornalistas em situações similares futuras, uma vez que os participantes em actos que desafiem a lei podem começar a encarar os repórteres “mais como polícias do que como profissionais da informação”.

“Este facto evidencia uma vez mais a necessidade de uma regulação urgente do sigilo profissional dos jornalistas, a fim de evitar estas situações que vão contra o direito dos cidadãos a receber informação verdadeira e plural”, concluiu o SPC.