FIJ e FEJ exigem fim de “lista negra de jornalistas” na Turquia

A Federação Internacional de Jornalistas (FIJ) e a Federação Europeia de Jornalistas (FEJ) instaram a 13 de Janeiro que os militares turcos deixem de classificar os jornalistas pela sua alegada atitude para com o exército e de usar essa classificação para conceder ou recusar acreditações.

As organizações tomaram esta posição depois de ter sido divulgada na imprensa turca a existência de um relatório do gabinete de relações públicas do exército, datado de Novembro de 2006, no qual se fazem recomendações sobre que critérios usar para conceder acreditações a jornalistas relativas à cobertura de questões militares.

Os militares não negaram a existência do documento, mas já iniciaram procedimentos judiciais para descobrir quem passou a informação para a imprensa.

Para a FEJ, a existência desta discriminação levanta, entre outras questões, sérias preocupações acerca da segurança dos jornalistas que constam da lista negra e da forma como eles podem vir a ser tratados pelos militares no futuro.