FEJ pede mais debate na reforma do serviço público esloveno

As mudanças que o governo esloveno pretende implementar na lei da radiodifusão pública necessitam de maior debate, uma vez que, da forma como estão redigidas, podem originar influências políticas indevidas no órgãos de informação públicos, afirma a Federação Europeia de Jornalistas (FEJ).

Em carta enviada a 19 de Maio ao ministro da Cultura, Vasko Simoniti, Aidan White e Arne König alertam que o processo legislativo está a ser conduzido com uma “precipitação desnecessária” e de que a passagem pretendida do controlo da supervisão do serviço público para a arena política representa um revés na independência editorial, que mina a reputação democrática da Eslovénia.

A FEJ sugere que o governo leve mais a sério as propostas da administração da RTV Slovenia a nível de reforma organizativa, separação entre interesse público e interesse do Estado, estratégias financeiras e independência económica e política da emissora.

Mesmo que essas propostas não sejam aceites, a FEJ considera que o governo deveria, no mínimo, adoptar as emendas ao projecto que foram avançadas há dias por representantes do Conselho da Europa e da União Europeia de Radiodifusão que visitaram a Eslovénia na passada semana.

“Não se perde nada em alargar o debate público sobre este assunto. Aliás, só há vantagens em envolver todos os intervenientes e chegar a um consenso lato sobre a reforma da lei da radiodifusão pública na Eslovénia”, afirmou Arne König.