Autoridades ucranianas recusam extensão de rede televisiva

O Conselho de Televisão e Rádio da Ucrânia recusou a extensão da rede de emissoras da NTN, estação controlada por Eduard Prutnik, ex-conselheiro de Viktor Yanukovych, o candidato derrotado nas eleições de 2004, o que originou o protesto de cerca de cem jornalistas do canal junto da residência presidencial.

Os jornalistas da NTN alegam estar a ser alvo de “uma conspiração”, pois a estação pagou as licenças devidas em Novembro de 2004 e já recebeu autorizações de dois tribunais para aumentar a sua rede de emissoras, aguardando agora o resultado de um recurso interposto pelo procurador-geral em Kiev, cuja decisão está marcada para 8 de Abril.

Contudo, Vitaly Chevchenko, membro do Conselho de Televisão e Rádio, argumenta que a estação obteve a licença ilegalmente quando foi criada e que, se quiser aumentar a sua rede terá de seguir os procedimentos oficiais.

Segundo este conselheiro, a NTN apenas está autorizada a emitir para Kiev e arredores, mas apesar disso já emite para 26 cidades e solicitou recentemente que esse número fosse aumentado para 76 cidades.

Em face deste caso, a Repórteres Sem Fronteiras (RSF) lembrou que, mal foi eleito, Viktor Yushchenko disse que a liberdade de imprensa seria uma das suas prioridades, pelo que aconselhou o governo ucraniano a não tomar quaisquer medidas de retaliação contra os órgãos de comunicação que tenham ligações ao antigo regime.