Automóvel de jornalista incendiado na Sicília

O automóvel do jornalista e sindicalista italiano Dino Paternostro foi incendiado na noite de 28 de Janeiro na localidade siciliana de Corleone, havendo suspeitas de que se trata de um atentado mafioso contra o autor do livro “I corleonesi, storia dei golpisti di Cosa Nostra”, distribuído em Novembro último com o diário “L’Unitá”.

Sindicalista local, director do jornal on-line Cittá Nuove e colaborador do diário “La Sicilia” e da revista “Narcomafie”, onde escreveu sobre criminalidade organizada, Dino Paternostro, de 54 anos, afirma não saber quem poderá estar por detrás do ataque. Uma dúvida que, no entanto, não existe entre os responsáveis do “L’Unitá”, para quem este ataque foi uma represália pela publicação do livro sobre a mafia corleonesa, que irá ser reeditado.

Em reacção a este incidente, a Confederação Geral do Trabalho Italiana (CGIL) convocou uma manifestação contra a máfia na praça central de Corleone e o secretário regional do sindicato solicitou às autoridades que protegessem o jornalista.