20 mil jornalistas russos ameaçados de desemprego

Mais de 20 mil jornalistas russos enfrentam o fantasma do desemprego, uma vez que a maioria das estações de televisão e rádio regionais tem vindo a enfraquecer sob a pressão das grandes redes de comunicação controladas pelo Estado, acusa o presidente do sindicato dos jornalistas do país.

Para Igor Yakovenko, esta realidade tem, em termos de valor anti-democrático, um impacto comparável ao fim das eleições directas dos governadores regionais, que deixaram de existir no ano passado.

Segundo o líder sindical, os cortes vão afectar sobretudo os pequenos grupos, de cariz regional, que já nem sequer veiculam programação própria, limitando-se a difundir notícias e programas realizados em Moscovo e que vão para o ar por igual nos vários fusos horários do país.

A administração do actual presidente russo tem sido severamente criticada pela forma como manipula a comunicação social, já que todas as principais estações televisivas do país são controladas pelo governo desde que Vladimir Putin assumiu o poder.