Violência policial russa sobre jornalistas alemães

Um jornalista alemão foi agredido quando cobria protestos em Moscovo contra a cimeira do G8 que se realiza este fim-de-semana na Rússia, e dois estudantes germânicos que trabalham como jornalistas para uma rádio universitária estão detidos desde 9 de Julho em São Petersburgo, cidade que vai acolher o evento.

Boris Reitschuster, correspondente da revista alemã “Focus”, foi atacado pela polícia a 13 de Julho quando fotografava manifestantes anti-G8 que estavam a ser agredidos pelas autoridades, tendo o seu telemóvel sido brevemente confiscado durante o incidente.

Por seu turno, Eike Korfhage e Henning Wallerius, estudantes ao serviço da rádio universitária Hertz 97,8, foram acusados de participar num protesto anti-G8 e condenados a dez dias de detenção por “urinar em público”, acusação que ambos negam.

Estes casos foram aproveitados pela Repórteres Sem Fronteiras (RSF) para recordar casos exemplificativos de como a liberdade de imprensa tem vindo a regredir na Rússia de Vladimir Putin, entre os quais se conta uma lei que “se destina claramente a impedir quaisquer críticas a decisões oficiais tomadas no decurso da luta contra o terrorismo”.