Tribunal russo inocenta suspeitos de morte de jornalista

O sector militar do Supremo Tribunal da Rússia confirmou, a 14 de Março, a inocência dos suspeitos de envolvimento na morte do jornalista Dmitry Kholodov, morto em 1994 quando se encontrava a investigar casos de corrupção no seio das forças armadas.

O jornalista, que trabalhava para o “Moskovsky Komsomelts”, morreu depois de abrir uma mala armadilhada que lhe havia sido passada por um dos seus informadores militares, que lhe disse que a pasta continha informações sobre alegadas práticas de extorsão do ministro da Defesa Pavel Grachev.

A morte do repórter de 27 anos acabou por levar à queda do governante, mas desde então os processos judiciais interpostos pela família de Dmitry Kholodov não tiveram quaisquer efeitos práticos no apuramento e condenação dos alegados responsáveis militares pelo seu assassinato.