Três jornalistas suíços vão ser julgados em tribunal militar

Os jornalistas Sandro Brotz, Beat Jost e Christoph Grenacher, todos do “Sonntags-Blick”, vão ser presentes no dia 17 de Abril perante um tribunal militar, devido a um processo resultante da publicação de um documento dos serviços secretos suíços onde era revelada a existência de prisões secretas da CIA e de transporte secreto de prisioneiros da agência de inteligência norte-americana em território europeu.

A situação é condenada pela Federação Europeia de Jornalistas (FEJ), que instou o tribunal militar a abandonar as queixas contra os três profissionais e a transferir o caso para os tribunais civis.

“Os jornalistas, enquanto civis, devem ser julgados em tribunais civis”, afirmou o presidente da FEJ, Arne König, sublinhando que “é irónico que no país anfitrião da Convenção de Genebra haja jornalistas a ser acusados por um tribunal militar por relataram abusos dos direitos humanos”.

Segundo a FEJ, esta não é a primeira vez que as autoridades suíças tentam intimidar jornalistas de investigação que descobrem matérias secretas, havendo vários casos de repórteres multados por artigos críticos do sector militar e até uma condenação de um jornalista a 20 dias de prisão, em 2006, por ter noticiado debilidades de construção num bunker.