Três anos de prisão para jornalista azeri

Sakit Zakhidov, do diário “Azadlyg”, foi condenado a três anos de prisão por um tribunal de Baku, no Azerbaijão, por posse de drogas, acusação que é vista com extremo cepticismo pelo Comité para a Protecção dos Jornalistas (CPJ) e pela Repórteres Sem Fronteiras (RSF), que a consideram “politicamente motivada”.

O jornalista foi detido a 23 de Junho e acusado de posse de narcóticos com vista ao tráfico. Mas a 26 de Setembro, dada a impossibilidade de provar em tribunal a intenção de venda, Sakit Zakhidov viu a acusação reduzida a consumo de drogas.

Garantindo que nunca consumiu nem vendeu drogas, o jornalista insiste que as dez gramas de heroína que foram encontradas pela polícia no seu bolso foram lá plantadas pelo agente Adil Alekperov, que liderou uma operação cujo objectivo era, segundo Zakhidov, isolá-lo e impedi-lo de escrever poesia satírica acerca de governantes.

Inconformado com a decisão judicial, o repórter vai recorrer da sentença, mantendo assim uma postura de resistência que já tinha ficado bem patente quando, entre 25 de Julho e 5 de Agosto, levou a cabo uma greve de fome em protesto pela sua detenção.