SJ pede avaliação sobre inclusão de jornalistas entre trabalhadores essenciais

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) pediu ao Governo uma avaliação dos/as jornalistas, enquanto grupo profissional, face à classificação de trabalhador/a essencial.

Os jornalistas estão na linha da frente desde março de 2020, para garantir à população o direito à informação, consagrado na Constituição da República Portuguesa.

Infelizmente, os jornalistas trabalham em condições cada vez mais difíceis e precárias, que o fecho das escolas só veio piorar. Ora, a mobilização para o serviço ou prontidão dos jornalistas – que tem de ser constante para responder a um desígnio constitucional e democrático – obsta, frequentemente, a que estejam em condições de prestar assistência a filhos ou outros dependentes a cargo.

O SJ entende que essa classificação seria uma medida justa e simples, que poderia ajudar muitos, nomeadamente os casais em que ambos são jornalistas, particularmente no acesso às escolas especiais, que se mantêm abertas para receber os/as filhos/as dos/as trabalhadores/as essenciais.

Nesse sentido, o SJ dirigiu um pedido, por escrito, ao primeiro-ministro e à ministra do Trabalho no sentido de procederem a essa avaliação.