SJ pede audiência ao presidente do PSD

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) pediu uma audiência ao presidente e líder da bancada parlamentar do PSD, Rui Rio, para lhe transmitir o relato e o retrato das crescentes debilidades da comunicação social a nível nacional e regional.

 

A crise dos media, que já não era nova, agravou-se nos últimos meses com a pandemia da covid-19, pelo que foi com uma expectativa positiva, apesar de a considerar manifestamente insuficiente, que o SJ encarou a decisão do Governo, de 17 de abril, de antecipar as verbas já previstas para publicidade institucional – que, até ao dia de hoje, não chegaram às empresas. Esta demora de um apoio que se apresentou como urgente já levou o SJ a questionar o próprio primeiro-ministro, sem resposta.

 

A par disto, nos últimos meses, Rui Rio tomou posições públicas que levam a crer que não terá sido bem informado sobre o referido apoio de adiantamento das verbas da publicidade, que ainda não saiu do papel, deixando as empresas em situações ainda mais delicadas. E, se o caso é grave a nível nacional, no âmbito local é absolutamente dramático, com jornais a fechar e rádios a entrar em colapso.

 

Convencido de que Rui Rio reconhece os problemas de sustentabilidade no setor da comunicação social, no quadro da sua relevância democrática, o SJ apresentará também, na audiência pedida, o conjunto de propostas para o futuro da comunicação social que depositou junto do Governo em dezembro.

 

Dessa conferência sobre financiamento dos media, organizada pelo SJ em dezembro de 2019, com o alto patrocínio do Presidente da República, saíram propostas, ideias e sugestões – algumas deixadas pela representante do PSD, Margarida Balseiro Lopes – que tardam em ser postas em prática.

 

O SJ entende que o exercício livre do jornalismo não pode ser dissociado da solidez e independência financeira das empresas de comunicação social e dos profissionais que o garantem.