Menu Fechar

Sindicatos solidários com protesto dos trabalhadores da TVI

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) e o Sindicato dos Trabalhadores de Telecomunicações e Comunicação Audiovisual (STT) juntaram-se ao protesto dos trabalhadores da TVI, esta quarta-feira, na sede, em Lisboa, e na delegação do Porto.

Os trabalhadores, entre os quais jornalistas e técnicos, juntaram-se à porta dos respetivos locais de trabalho para exigirem “respeito” da Administração, numa altura em que está em curso a compra da Media Capital pela Cofina.

Em Lisboa, o protesto envolveu cerca de 150 trabalhadores, a que se juntaram 17, mais de metade dos 30 que compõem a delegação no Porto.

Jornalistas e técnicos uniram-se num protesto simbólico, utilizando a hora de almoço, para fazerem eco das suas reivindicações e dúvidas.

Exigiram “respeito” da Administração, queixando-se de que não lhes foi dada qualquer informação sobre o processo de venda da estação, temendo que a compra signifique despedimentos e mais precariedade na empresa.

Os trabalhadores protestam contra os baixos salários no grupo e a crescente precariedade laboral.

O processo de progressões na carreira, que deverá avançar em 2020, é outra das preocupações, dado que, até ao momento, os trabalhadores não foram informados de que forma está a correr, exigindo garantias de que a definição das carreiras vai mesmo por diante.

A precariedade na TVI, especialmente entre os mais novos, na maioria pessoas contratadas a uma empresa de trabalho temporário, Hospedeiras de Portugal, foi outro dos problemas que juntou os trabalhadores no protesto.

A gota de água, segundo os trabalhadores, foi o cartão de Natal, no valor de 125 euros, que há vários anos é atribuído a todos os trabalhadores. Este ano, contrariando essa tradição, a empresa deu o cartão apenas aos funcionários com salário bruto inferior a mil euros, deixando de fora todos os outros.

O SJ e o STT vão continuar a acompanhar a situação da TVI e estão disponíveis para apoiar os trabalhadores nas formas de luta que estes entendam adotar no futuro.