Sindicatos desmentem Director de Informação TV da RTP

Os sindicatos representativos dos trabalhadores ao serviço da Rádio e da Televisão de Portugal, SA desmentem o Director de Informação Paulo Ferreira, que no plenário da redacção de televisão realizado ontem, dia 15, afirmou que o “processo de avaliação” lançado na empresa e que está a causar forte contestação era do “conhecimento dos sindicatos”.

Em comunicado divulgado ontem à noite, os sindicatos informam que até dia 15 nada sabiam da “natureza do processo em curso, não tiveram conhecimento dele nem antes nem durante a sua elaboração, não tendo sido parte deste em nenhum momento”. O documento esclarece ainda que o processo só lhes foi apresentado na própria manhã da realização do plenário de jornalistas, numa reunião convocada de urgência que nem sequer incluiu todas as organizações sindicais, como foi o caso do Sindicato dos Jornalistas.

Face à informação que ontem lhes foi prestada, os sindicatos consideram que o dito “processo de avaliação” não é
uma simples e inócua análise de recursos humanos, mas sim um “método discricionário de avaliação de trabalhadores por parte dos seus directores, que culmina numa classificação de trabalhadores que vai desde o «imprescindível» ao «inadequado»”.

Considerando ser “indisfarçável a falta de sustentáculo objectivo, jurídico e até mesmo técnico deste processo” e que a “gestão que é feita do mesmo, para além da forma como foi comunicado, revela um claro desnorte por parte de quem o geriu”, os sindicatos reafirmam a sua disponibilidade para debater “uma eventual mobilidade interna, bem como metodologias modernas e justas de avaliação de desempenho”, mas rejeitam que os “pretendam transformar em instrumentos de desinformação ou «reguladores de vapor» da justíssima revolta que os trabalhadores da RTP sentem face a esta intolerável situação”.

Numa clara manifestação de repúdio pela situação criada na RTP, o plenário de jornalistas da televisão aprovou uma moção contra o processo de avaliação em curso e retirou a confiança à Direcção de Informação.

O comunicado dos sindicatos, a moção aprovada no plenário de jornalistas e nota da Direcção de Informação da RTP estão disponíveis nos ficheiros em anexo.


Ficheiros em Anexo