Restrições à liberdade de imprensa na Macedónia

Um grupo de jornalistas da antiga república jugoslava da Macedónia (FYROM) foi impedido, a 6 de Dezembro, de cobrir uma visita de líderes políticos a um grupo paramilitar estacionado em Kondovo, nos subúrbios da capital Skopje.

Antes do início do encontro entre os políticos e os paramilitares de etnia albanesa, os jornalistas foram forçados a abandonar Kondovo – onde estavam cerca de duzentos homens com uniformes negros – e avisados de que lhes seriam prestadas declarações mais tarde.

Várias horas depois, Ali Ahmeti, um dos políticos presentes no evento, membro da coligação de governo e líder da União Democrática pela Integração, dirigiu-se aos jornalistas e justificou a actuação anterior com o facto dos média darem informações falsas.

Preocupada com a “restrição à liberdade de movimentos dos jornalistas” e os ataques verbais de que são alvo, a Organização de Média da Europa do Sudeste (SEEMO) exigiu uma explicação oficial para este incidente.