Repórter preso por cobrir manifestação proibida na Bielorrússia

Barys Haretski, repórter do semanário “Nasha Niva” e colaborador da Radio Racyja, foi condenado a sete dias de prisão por alegados insultos à polícia e por se recusar a obedecer a ordens das autoridades quando fazia a cobertura de uma manifestação não aut

As acusações que levaram à condenação do jornalista são negadas pela rádio polaca para a qual Haretski trabalha, um órgão que, segundo a organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF), é regularmente assediado pelas autoridades do país liderado por Aleksandr Lukashenko.